O que são os sistemas MRP 1 e 2 e seus benefícios para a organização.

Neste artigo, falaremos sobre os sistemas MRP I e MRP II onde mostraremos o que são, como surgiram e para que servem.

A sigla MRP diz respeito a Materal Requirements Planning, ou em livre tradução planejamento de necessidades materiais. O sistema MRP I surgiu nos anos 60 com o objetivo de permitir as empresas que as mesmas calculassem quanto de material de determinado tipo seria necessário e em qual momento deveria estar disponível. Sendo assim, para que seja possível executar esse processo, o MRP I utiliza pedidos em carteira, e também uma previsão para os pedidos que a empresa acha que deverá receber. Dessa forma, o MRP I faz então a verificação de todos os ingredientes que são necessários para que seja possível completar esses pedidos e ainda garantir que possam ser entregues a tempo.

De forma geral, podemos definir o MRP I como um software que auxilia as empresas a fazerem cálculos referentes a matérias que terão ou não disponíveis de forma muito mais eficaz de como era feito antes da criação desses sistemas. O MRP I teve sua primeira versão lançada nos anos 60 onde a computação começou a surgir de forma mais forte, e começou então a automatizar processos empresariais que antes eram feitos manualmente e que passou a ser mais rápido e eficiente com o sistema MRP I.

A utilização de um sistema MRP I na sua organização tende a trazer alguns benefícios para a mesma:

Integração de área produtiva e administrativa

Sabe-se que o setor de compras necessita de informações que são passadas pela equipe administrativa para poder efetuar as compras necessárias para a empresa, e ainda precisa de informações do que já foi entregue ou não para a organização. Dessa forma, um dos benefícios do sistema MPR I é fazer a integração desses setores, fazendo assim com que seja reduzido o trabalho de gerar essas mesmas informações.

Planejamento mais rápido e eficaz

Através do sistema MRP I é possível com que o responsável por planejar a produção não gaste tempo fazendo isso de forma manual através de planilhas, já que o software MRP I pode fazer isso de forma mais rápida e eficaz através de uns poucos cliques permitindo assim que se possa automatizar a produção e atender melhor os clientes da empresa.

Confiabilidade de dados

Planilhas e documentos físicos estão longe de serem ferramentas realmente seguras para empresas guardarem suas informações, e ainda são ineficazes quando o gestor precisa acessa-las de forma rápida. No entanto, com o sistema MRP I, informações como estoque, compras e produção estão extremamente mais seguras e se tornam de muito mais fácil acesso para a sua empresa.

Mas após todas essas informações sobre o MRP I, afinal aonde esse sistema se aplica? De forma geral, podemos dizer que ele é bem-vindo em organizações que precisam de muita matéria prima e consequentemente vários fornecedores para a fabricação de seus produtos

No entanto, como tudo que é ligado a tecnologia, o sistema MRP I também evoluiu e surgiu então o sistema MRP II onde outras partes da empresa passaram a ser interligadas. Basicamente, o software MRP também é responsável pelas atividades na área financeira e de engenharia da organização, além claro da área de matérias já vista no sistema MRP I. Sendo assim, todas essas informações são interligadas em um único banco de dados.

Assim como o MRP I, o sistema MRP II também conta com algumas vantagens:

Automatização da Produção

Com o auxílio do MRP II é possível criar cronogramas mais detalhados de produção em tempo real de forma que auxiliem de forma a coordenar a chegada de materiais de produção.

Produção mais estratégica

O software MRP II faz com que seja mais fácil definir políticas estratégicas a longo prazo da empresa, e ainda auxiliam a desenhar o planejamento estratégico de produção, o que torna o chão da fábrica mais estratégico.

Redução de Custos

O software MRP II traz uma melhor eficiência no processo de planejamento de produção já que todos os dados da manufatura estarão completos, e ainda reduz os desperdícios de materiais. Há ainda a redução de custos e estoque, além de oferecerem ainda aos gestores um poder de reação mais rápido em relação as mudanças mercado, segundo novos requerimentos de clientes e fornecedores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *